29/10/2018

A carta que eu espero que ninguém tenha que ler

Eu espero que entendam que ninguém poderia ter me ajudado. Nem suas entidades ou abraços apertados, nada poderia ser dito para mudar. Eu nasci assim e por mais que me esforçasse para viver, já estava morta há tanto tempo que uma ressurreição já não fazia sentido. E não é sua culpa ou de ninguém. Uma mente quebrada que não pôde ser consertada, nem com remédios nem força de vontade.

Acredito que estou escrevendo isso agora porque sinto que estou matando-me aos poucos e é bom deixar aqui para que no futuro, quando a covardia de um adeus tomar-me por completo, já estar registrado. Eu sei, quanta baboseira.

O vazio que eu sinto não vai embora. Eu me queimo, eu me corto e não sinto nada. Eu me magoo e desmantelo-me e nada. Eu não sinto amor, ódio ou felicidade. Somente dor. Rasga-me por dentro e explode em atitudes impensadas e compulsões destrutivas. Não me respeito, não me cuido, não me suporto. E peço desculpa, eu simplesmente não consigo tolerar mais um dia nessa pele. Nessa mente que não me deixa em paz não existe sossego.

Peço desculpas pelos danos irreversíveis. Sei que a dor que causarei será bem maior do que posso imaginar ou refletir a respeito. Espero que algum dia possam perdoar-me. Dói muito em mim também, mais do que posso suportar. Eu já estava morta antes do meu corpo sucumbir também. Eu escrevi a respeito, eu confessei, eu gritei no meu silêncio, acho que por muito esperei ser salva, até entender que ninguém poderia me salvar.

Aos que acreditam em reencarnação, quiçá nos encontremos novamente, quiçá eu seja alguém melhor. Aos que não, saiba que estarei em paz. Liberta das correntes que minha mente criou, da loucura que assombra-me e da agonia assola-me.

Peço perdão pelo egoísmo. 
Peço perdão pelos meus erros.
Peço perdão pelas palavras mal ditas e pelo que eu nunca disse.

Adeus.

5 comentários:

  1. viver ainda vale a pena, moça.
    A morte não resolve nada nessa vida, só faz é trazer mais dor. Não sei o que lhe aconteceu que te fez chegar a esse ponto, mas acredite no amanhã, acredite na possibilidade de ele ser melhor. Ainda não descobriram a cura para a mente, mas já dizia Schopenhauer, é uma questão de paz interior... Faz as pazes com você. Conversa com você. Se abraça. Faça consigo planos para o amanhã. Mas não deixe de lutar.
    Cê não tá sozinha.
    A gente nunca tá sozinho. Respira fundo, mentaliza o mantra Ho'oponopono, e tenta de novo.
    Ninguém tá aqui a toa, e você ainda vai conhecer seu propósito.
    Só não desiste da luta. Arruma um gato, um cachorrinho, um papagaio, sei lá, faz uma loucura, pega todo o dinheiro que você tem, compra uma passagem p qualquer lugar e explora o desconhecido. Quem sabe que surpresas incríveis o mundo te reserva?

    ResponderExcluir
  2. Oi Bella! Parabéns pelo seu blog. Eu acabei caindo aqui sem querer e fui atingida pelo seu texto. Você tem a escrita bem forte e descreves bem toda essa bagunça mental que é viver. Essa carta de adeus não é só triste, mas também tão real!! Parabéns pela sua escrita, espero que ela consiga te salvar. ;)

    http://www.verdadeescrita.com/eu-jamais-faria-de-voce-realidade/

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Milene Diniz20 de dezembro de 2018 12:08
    Oi Bella
    Quer conversar comigo? Pode ficar à vontade para me procurar. Meu email: milenediniz96@gmail.com
    Pode falar o que quiser.
    Conheci seu blog hoje e queria ver como você está. Você deve ter sofrido / estar sofrendo muito. Nada do que você disse são "baboseiras". Não desista, não perca a esperança. Eu não sei a quanto tempo você sofre assim e nunca conversamos para eu saber mais sobre o que te faz sofrer, mas independentemente disso, é possível mudar essa realidade e viver coisas melhores (nesta vida mesmo, nao em uma próxima). Pelo que estou vendo no seu blog, já vi muito potencial em você, e sei que tem muito mais. Você pode usar recursos para ajudar na sua vida. A escrita é só um exemplo, é possível encontrar outros. Ah e por falar nisso, você escreve muito bem!
    Não quero subestimar a sua dor dizendo essas coisas. Eu compreendo que não é fácil. Mas isso pode ser mudado, sem a morte. Espero que esteja bem. Você não está sozinha 😊❤

    ResponderExcluir